BARROSO E DEMAIS CIDADES DO ESTADO DE MINAS INICIAM MEDIDAS PARA SEGURANÇA NAS ESCOLAS

Em 15 dias, foram registrados quatro ataques a escolas no Brasil. Diversas ameaças crescem a cada dia e o pânico toma conta da sociedade, especialmente a comunidade escolar, alvo de incitações e crimes impiedosos.

Em Blumenau (SC), um homem de 25 anos invadiu uma creche e matou quatro crianças com uma machadinha e feriu outras cinco. O caso chocou o Brasil e acendeu um alerta para novos casos.

O mais recente episódio ocorreu na manhã desta terça-feira (11), onde um aluno de 13 anos entrou no Colégio Estadual Doutor Marco Aurélio, em Santa Tereza de Goiás, e esfaqueou duas colegas de classe. As vítimas não tiveram ferimentos graves, mas foram socorridas e já estão estáveis. O adolescente foi contido por uma professora e apreendido pela Polícia Militar. Com o menor, foram pegas armas brancas, como facas e canivetes.

BOATOS GERAM CAOS

Em meios as ferramentas tecnológicas, suas facilidades e velocidade com que são espalhadas as informações, se utilizadas com irresponsabilidade, podem favorecer a disseminação de boatos, agravando ainda mais a atual situação.

Na manhã da última segunda-feira (10), armas brancas também foram entradas com alunos em Poços de Caldas, no Sul de Minas, após denúncias, policiais se dirigiram até a Escola Municipal Wilson Hedy Molinari e apreenderam quatro alunos, duas meninas, ambas de 12 anos e dois meninos, de 13 e 14 anos, armados com faca e canivetes. Os menores relataram à polícia que estavam armados para se defender de um hipotético ‘massacre na escola’ anunciado por meio de um perfil criado nas redes sociais.

Na mesma data, a Polícia Militar de Nepomuceno, também em Minas Gerais, recebeu denúncias de uma provável chacina em uma escola local após vídeos e fotos circularem nas redes sociais, onde um adolescente ameaçava seus desafetos que lá estudavam com uma arma de fogo, modelo G2C, calibre 9 mm.

Na região a precaução está sendo adotada por gestores, como na cidade de São João del Rei, onde o professor e Reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFSJ), Marcelo de Andrade, encaminhou um ofício ao 38º Batalhão de Polícia Militar nesta terça-feira (11), solicitando reforço e patrulhamento policial no entorno dos Campi da instituição em decorrência de supostas ameaças de ataques que vem circulando nas redes sociais.

A decisão se deu pelo pânico trazido à comunidade universitária, sendo necessárias medidas preventivas.

MEDIDAS DE SEGURANÇA ANUNCIADAS

O governador, Romeu Zema (Novo), anunciou na última quarta-feira (12), que escolas estaduais mineiras irão receber investimentos em sistema de monitoramento com câmeras ainda este ano.

Zema não deixou claro quanto vai investir para ampliar o sistema de controle, mas disse que, em 2023, investirá cerca de R$ 33 milhões para manutenção dos sistemas já instalados.

Além deste investimento pelo Estado, o Ministério dos Direitos Humanos e Cidadania informou que o serviço ‘Disque 100’ passará a receber denúncias de ameaças de ataques a escolas. As denúncias podem ser feitas por WhatsApp, pelo número (61) 99611-0100. O denunciante não precisa se identificar, fica sob anonimato e as informações serão encaminhadas para a polícia, Conselho Tutelar ou Polícia Federal.

BARROSO

A Polícia Militar de Barroso se reuniu com diretores e diretoras das escolas locais para a criação da Rede de Escolas Protegidas, iniciativa que tem como objetivo estreitar os laços entre PMMG e educação como forma de coibir delitos nas instituições de ensino.

Imagem ilustrativa

Compartilhe essa notícia!

Receba nossas Notícias

Preencha os campos abaixo para receber Notícias, Promoções e Dicas em primeira mão no seu WhatsApp e E-mail.
Ao pressionar o botão "Quero Receber", você confirma que leu nossa Política de Privacidade.